Aprenda Inglês


Putz, você não fala Inglês ainda, né?

Marcelo Konradu aqui… Você sabia que eu consegui aprender Inglês estudando por conta própria?

Pois é! Isso significa que foi sem precisar me graduar em um cursinho (aqueles que na década de 90 o pessoal tinha duas aulas por semana e no final das contas ganhava um certificado, não praticava nada no dia a dia e por isso, em pouco tempo, esquecia praticamente tudo).

Hoje em dia está muito mais fácil, as pessoas podem estudar até pelo celular…

Então se eu consegui do jeito mais difícil, significa que hoje que está fácil, você também consegue!

Naquela época eu tentei frequentar aulas em uma escola, mas acabei percebendo que para aprender Inglês eu não precisava pegar um ônibus, ir para o centro da cidade, sentar em uma sala com mais 10 pessoas para ter uma hora de aula na terça e outra na quinta e ainda pagar um valor absurdo por isso.

Resolvi “arregaçar as mangas” e estudar, fiz de tudo um pouco… Baixei uns materiais da internet que encontrei (eu nem tinha celular na época, naqueles tempos o telefone só servia mesmo para ligar para as pessoas e mandar “torpedo”), áudio aulas aleatórias, uma verdadeira zona… Porque parte do material que eu encontrava era do Inglês Britânico e outra parte do Americano… Vai vendo…

Assistia três vezes o mesmo filme (uma em Inglês e com legendas em Português, outra em Inglês e com legendas em Inglês e a terceira em Inglês e sem legendas), traduzia músicas na época do dicionário de papel, pensa na missão quer era…

… Pra piorar eu tinha um “mp3 player” chamado Shuffle, a bagaça vinha sem visor, não tinha como programar a ordem das áudio aulas nele – haha… Então eu escutava tudo de forma aleatória, sem metodologia nenhuma e repetia tudo o que ouvia como um papagaio, parecia um maluco, sério… Tudo fora de ordem mesmo…

Cheguei ao ponto de ler apostilas de Inglês em Espanhol para evoluir as duas línguas juntas, deu boa.

Mas hoje em dia, ahhh, hoje em dia não tem desculpa para você não falar Inglês ainda, e não tem mesmo!

E estou aqui para te dar uma mãozinha, eu indico três formas de aprender e acelerar o Inglês sem precisar investir muito:

1. Aprender do Zero ou Aprimorar Com Professores Nativos (Imersão digital na cultura Americana)

Nível de Aprendizagem: Super Fácil

Técnica: Simples, basta se inscrever na plataforma, seguir a metodologia (desenvolvida para adultos), manter a frequencia e começar a perceber os resultados já nos primeiros meses.

O foco principal é em viagens para os Estados Unidos, um método inovador, onde o aluno tem a oportunidade de aprender com situações da vida real que antecipam tudo que inevitavelmente uma pessoa viveria em uma viagem para os States.

São mais de 300 horas de aulas em vídeo que abordam situações sobre como agir no aeroporto, passar na imigração nos Estados Unidos, fazer checkin em hotel, pedir no restaurante, alugar um carro, fazer compras, ir a eventos como jogos de futebol etc) e mais temas atualizados.

Tudo isso com professores Americanos (e que falam Português), uma verdadeira produção de cinema que proporciona aprender Inglês sem enrolação e ao mesmo tempo sobre a cultura Americana.

Investimento: Muito barato.

2. Melhorar com foco em hotéis ou restaurantes (com professores Brasileiros)

Nível de Aprendizagem: Fácil

Técnica: Adquirir o curso, baixar o material, seguir instruções, elaborar uma rotina de estudos e assistir as aulas.

Veja dois exemplos:

Inglês Rápido para Hotelaria

Inglês Rápido para Restaurantes

Investimento: Mais barato ainda.


3. Fazer como eu te falei que fiz no início do post

Nível de Aprendizagem: Difícil

Técnica: Pesquisar material, baixar, elaborar uma rotina de estudos e aproveitar os momentos em que está na academia, no trânsito, no banho, cozinhando, correndo ou sei lá para ouvir as aulas.

Investimento: De Graça, apenas seu tempo.

Veja a seguir as 7 alternativas que separei para você:

  1. Learn English Online – oferece de graça mais de 56 lições, do nível iniciante ao intermediário.

  2. ZapEnglish – o curso oferece arquivos de áudio de nativos, lista completa de vocabulários com áudio, quiz para treino de conhecimento e gramática completa.

  3. Memrise – apresenta foco no vocabulário e na gramática. É dividido em módulos também e oferece diferentes níveis.

  4. The Actual Fluency – podcasts com pessoas especialistas em línguas em conversas casuais em inglês.

  5. English as a Second Language – apresenta mais de 1000 podcasts, o ESL possui lições de inglês e aborda temas como entretenimento, negócios, viagens e relacionamentos.

  6. Você Aprende Agora – o canal no YouTube tem aulas em formato de vídeo, vale a pena conferir.

  7. Duolingo – excelente ferramenta para aprender idiomas online de qualquer lugar que você estiver. A maioria dos recursos são gratuitos, mas tem conteúdo pago para acelerar o aprendizado.

Se não puder investir em você agora, visite os links, escolha o método mais interessante e vá em frente.

E agora, depende de quem?

É possível você pode adquirir a fluência investindo em cursos de Inglês Online, você já deve imaginar que hoje em dia, no Currículo, o Inglês não é mais considerado um diferencial, é quesito eliminatório em processos seletivos.

“Quando falamos de recrutamento, os consultores são enfáticos ao responder qual é o principal ponto fraco dos brasileiros: o baixo domínio do inglês. O gap (sim, gap, palavra usada pelo mercado para definir a falha em alguma competência) influencia negativamente no momento da contratação, na hora de uma promoção e, também, nos ganhos financeiros. De acordo com uma pesquisa da Catho, site de busca de empregos, o domínio de um idioma estrangeiro pode engordar o contracheque em até 52%. Mas, no Brasil, apenas 5% da população fala uma segunda língua e menos de 3% têm fluência em inglês. Ao contrário do que muita gente imagina, o problema não está só em pessoas de cargos mais baixos.”

Existem várias formas de se organizar para tirar seu Inglês da lama, eu recomendo fazer uma escala semanal, determinar os dias e o tempo que irá dedicar ao seu aprendizado (quanto maior dedicação, mais rápido vem o resultado).


Trocar meia hora de rede social por meia hora de estudo é simples.

Sabe… uma das coisas que mais escuto das pessoas que me procuram com a intenção de trabalhar no exterior é “meu Inglês é básico, mas eu aprendo rápido, tenho chances?” ou “meu Inglês é básico, eu só preciso de uma oportunidade!“…

As oportunidades para aprender você conhece agora, basta escolher a mais conveniente para a sua rotina, para esse momento da sua vida e para o seu bolso.

Espero ter te ajudado com essas dicas, agora faz uma forcinha aí também se você acredita que vale a pena melhorar suas habilidades no idioma, por favor.

Mas por você, não por mim, garanto que você vai se beneficiar com isso, assim como as pessoas ao seu redor e possivelmente irá influenciar a sua comunidade, pare e pense nisso

Quando você investe em você mesmo, seja só tempo ou tempo e dinheiro, o retorno vem, lembre-se dessa regra.

Caso você esteja lendo esse artigo por que está pensando em viajar com emprego para outros países, será uma prazer conversar contigo sobre as possibilidades, mas lembre-se, para participar de qualquer um dos processos seletivos por aqui, mantenha em mente que as empresas internacionais exigem no mínimo Inglês Intermediário para cozinha, Avançado para atendimento e Fluente para posições de gestão.

Escreva para contato@viajecomemprego.com.br, envie o seu Currículo (em Português ou Inglês) e fale um pouco sobre você e sobre seus planos, nossa equipe está pronta para te ajudar.


PS. Segue a gente no Instagram @ViajeComEmprego para ficar por dentro de oportunidades de emprego, trainee e estágio em hotéis e restaurantes de luxo pelo mundo.